Expansão por méritos: Deuses que sois

Despertai, mesmo as divindades tem responsabilidades para consigo mesmas. Somos tão fortes como os elefantes ou dinossauros que um dia existiram, a diferença, está em que os mesmos foram e são dotados de força física e nós, com a capacidade de realizações com antecipação imaginativa. Pássaros, criteriosamente com intensões claras e precisas, constroem seus ninhos para, em seu interior, gerar, cuidar e ter garantida a continuação de seus descendentes. Viagens às estrelas!!! Sementes de plantas, usando meios naturais, viajam pelo espaço ao seu redor, espalhando-se para se fixarem em outros lugares e assim se propagarem; aproveitando as correntes de ar. Matéria com todas as densidades, estado e resistências encontram-se neste Universo. Manipular o meio, criar novas formulas, desenvolver métodos para se aprimorar ciências em sua aplicações, não pode ser considerado como sendo evolução humana no quesito harmonia em desenvolvimento: Mas sim, encontro com meios e coisas já existentes. Criativo, aperfeiçoar-se, evoluir como uma espécie dotada de intelecto, fazer jus à credibilidade da alma e crescer realmente, há de se começar em cada um. A humanidade ainda não se conscientizou-se de suas responsabilidades, comodamente traduz as manifestações mecânicas da fisiologia como sendo o máximo do progresso na criatura. Não podemos decidir sobre dormir ou ficarmos acordados, ingerir água, alimentos ou não: Como máquinas, não controlamos nosso ter ou não ter desejos sexuais, tente abnegar seu libido, e terás sonhos perturbadores, o genes sabe à que me refiro. Impulsos energéticos combinados à reações químicas sustentam a vida em seu estado primário. Evolução humana à poder ser considerada um feito de aprimoramento e grandeza da vida, é aperfeiçoarmos as relações entre semelhantes e o meio, ir além dos comandos codificados pelo gene, ir além da providencia do universo contida em suas poeiras e gazes cósmicos...Dizem a realidade ser concernente, assim como uma verdade produzida, mas, o que tenho a dizer, contesta não simplesmente ao acaso de, deparar com oportunismo frente a uma chance de se dirigir em rumo à perfeição, apoiando-se em verdades convencionalistas: Quando me refiro a Deuses que sois, trato do entendimento da criação, não sou presunçoso, crítico por prazer de molestar, não confronto ideias, devemos sempre que possível buscar o melhor e jamais discutir ou incutir incertezas...