Além das fábulas... Lhes fiz auto-suficiente, mas como um verme parasita, escraviza seu semelhante.


Quando criança a não for o alimento e evitar a dor, há poucas coisas recorremos; sorrimos, choramos e, na maioria das vezes nos esquecemos de tudo: Nascimento, o que há de vir não nos preocupa, não é egoísmo, mas nem mesmo percebemos o sol, com o temporal e a tempestade acontecendo, só queremos brincar, não existem situações de risco para nós: A vida biológica está segura através dos mecanismos naturais. Nossa permanência e comportamento vão depender do que recebermos, assim, como o leite materno é responsável pela nutrição do corpo físico em nossos primeiros contatos com a vida, a cultura do meio e da família formarão nosso caráter, daí, um dia seremos iguaizinhos como os adultos que encontramos quando da nossa chegada. Se jamais praticarmos um ato verdadeiro, quero dizer com isso que de nada vale para o ser humano em sua meta de evolução, contribuir com o bem estar de alguma pessoa entendendo este gesto como caridade, de fábulas vivem os sonhadores, a vida como existe está ai para nos mostrar que o universo não prioriza as fantasias que criamos para tornar a existência mais cômoda psicologicamente. Cada um deve tomar sua iniciativa colocando-a em prática segundo seu coração, sua percepção e emotividade, nada de transferir para outro o que possa resultar em beneficio de alguém, na certa, dependendo do intermediário, ficará retido por ali mesmo o que encaminharmos. Não havendo uma iniciativa ainda que modesta em favor de alguém, mesmo somente a um ser humano, deveremos conviver com a violência igualmente aos bens que acumulamos frente a tantas desigualdades e cumplicidade: tudo ligado, tudo sendo consequência normal e resultado natural. Oito de dezembro, Brasil, muito bom, ou seria extremamente imprudente, injusto e triste comemorar este dia escolhido como o momento do ano referente à justiça?  A humanidade quase que no geral dispensa nos dias de hoje os Deuses mitológicos, ainda bem, de outra forma, como teria estado o cidadão com seu destino de julgamento, na pendência de uma fonte de bom senso abstrato, representada pela deusa Têmis no passado, e nos dias de hoje, na dependência do poder aquisitivo, o dinheiro para defendê-lo? Teoricamente, para quem não tem recursos financeiros para cobrir custos com defesa, tem-se assistência do governo: E você acredita? (não seria como a fábula da igualdade e da fraternidade?) Se o governo não cuida com eficiência da saúde, por exemplo, com assistência medica e alimentos que sustentam á vida com preços acessíveis, então, qual mérito ou importância teria este dia. Mesmo porque, o estado tem que ser exclusivamente mediador e, não manipulador, exceto se, no segundo, houver a participação dos cidadãos diretamente, não há como separar homens de homens, existir dois mundos, duas realidades em uma sociedade: Em ocasião do interesse de um cidadão em uma vaga de emprego no estado, sim, uma vaga de emprego; o estado é real, integrado e composto por cidadãos com números de CPF, embora sejam representantes escolhidos, não devem ter poder absoluto, mas com imites de decisão. Toda escolha de uma comemoração envolvendo toda a sociedade é preciso que seja aprovada ou reprovada por todos. Comemorar o dia da justiça, ainda que simbólico, é como afirmar que tudo vai bem, tudo está perfeito, muito tempo ainda há de vir para celebrar tal indicação. Não há prova maior de imaturidade de uma civilização na elaboração de leis baseadas nos costumes e tendências, não que houvesse como ser diferente, pois, muitas vezes são benéficas, mas, a aceitação por induzidos não poderia ser tão irresponsável quanto ao descuido de não estar atento aos rumos das promulgações destas, por exemplo, o dia da justiça.  Decidiu-se em um tempo colocar crianças deficientes em águas correntes, aquelas que por ventura saíssem vivas, sorte delas: Outras, bem no alto de uma montanha, brutalmente assassinadas em sacrifícios a deus, claro, não sem algo em troca, aceitavam que, quanto mais lágrimas delas, imagina, com certeza prolongavam sua agonia, mais chuvas teriam: Infeliz de quem fosse jovem em uma das primaveras, poderia ser escolhido também para mais uma absurda lei. Tudo foi lei um dia e, aplicadas cegamente considerava-se feito justiça. Dar destaque aos órgãos legislativo e judiciário sim, mas, festejar a justiça integralmente, não é correto, enquanto perdurarem as desigualdades sociais mantidas pela fidelidade comprada com salários escalonados, com subornos disfarçados em negociações e a opressão. Três bases para as leis sociais. A proveniente de Deus; procedimento segundo os princípios que se acredita emanado do próprio, incluindo a moral. A derivada do Estado: Onde, cidadãos em posse de procurações, representam cidadãos; ou nas Ditaduras quando a procuração é tomada pela opressão, arrogância,  egocentrismo e complexo de divindade. A do ser humano como individuo único e detentor do cuidado natural para com sua integridade física e comportamental; ainda que, ao aplicar sua própria lei, responda por quebrar as regras. Mas, nada o impede de colocá-la em prática se, seus procuradores se mostrarem ineficientes em suas funções, perdendo desta maneira a aptidão para tal desempenho da profissão assumida e ainda...O silencio dos envolvidos. Pagamos um alto preço por não nos dedicarmos mais, à parte preciosa de nossas mentes, sendo ociosos, quando deveríamos estar trabalhando em conjunto, continuamos endeusando o estado como se fora um templo único dedicado a seres humanos com poderes especiais: Prova que, estado é figurado onde seus membros são também seres humanos normais e consequentemente errantes às vezes, com raríssimas exceções de alguns com a propensão natural para livrar-se  de atos e ações avarentas, se dedicam como podem ao difícil dote da educação pessoal e social. Sabemos da importância dos números em nossas vidas, ao sem, do menos ao máximo possuidor de recursos financeiros, tudo é contável. Não necessariamente como a historia comprova, o bem bem estar e futuro de uma nação têm garantias nas mãos daqueles possuidores de educação obtida das médias ou melhores universidades. Não conheço a política Sueca, mas o que dizer de um país com uma das melhores assistências sociais do planeta, com altíssimas taxas de impostos, sim, mas que revertidas para a população, o que não seria legal se diferente, afinal, esta é a função de homens encarregados destes setores. Posso deduzir que, onde membros do governo vivem em extraordinários patamares de mordomias e imunidades, os mesmos transformam seu País em uma colônia, permitindo com estratégias sutis a exploração de seu povo, conterrâneos e irmãos. O argumento usado atualmente para invasão, saque e domínio permanente de nações impondo uma política econômica própria em nome da paz, não é justificado pela suposta inocência de neutralidade na posse de armas letais de destruição em massa que tentam demonstrar pelos feitores de tais ações à opinião pública. Ditaduras , baseadas no rompimento da liberdade individual e coletiva, é tão cruel quanto à democracia capitalista, onde a liberdade de exercer sua função de consumidor é trocada por uma única função, a de produzir e servir. Para os estadistas de quase todos os países é mais prática e econômica a construção de cárceres, ao invés de escolas em grande quantidade para as crianças e adultos. Não há dúvidas que em países onde a violência é crescente e constante na sociedade, sempre haverá mais vagas de empregos para juízes,  promotores, advogados e delegados, além, claro, da necessidade de mais funcionários públicos para segurança, aumentado assim ainda mais a força de proteção para os estadistas e opressão sobre o cidadão para manter como está. Crianças hoje vistas pelas ruas das cidades dos grandes ou pequenos centros, de todos os interiores em qualquer parte do mundo, aquelas que sobrevivem às mínguas, sem água tratada, sem alimentos suficientes para uma boa formação de seu corpo, ignoradas por aqueles a quem lhes deveriam providenciar a perfeita obrigação de tornar eficiente a tutela  para o perfeito funcionamento do sistema; dentre estas, algumas ao acaso e raras, se comparadas ao grande número das existentes, conseguirão participar das maravilhas que a sociedade humana em trabalho produz inclusive a cultura: As demais, ontem e hoje invisíveis e excluídas, muitas serão o esteio a sustentar aqueles que ordenam a construção de presídios e, a futuros administradores dos mesmos. Para confirmar, basta fazer visitas a presídios ou conversar com um amigo, caso haja um em seu circulo de amizades. Em nosso modelo de sociedade  muitos se encontram presos por ter desenvolvido um cérebro levemente debilitado na capacidade de raciocínio, exatamente pela má formação em razão da deficiência alimentar, quando da não atenção por parte do governo. Não se constroem escolas suficientes, não se cuida das crianças como se deveria, mas quando as mesmas crescem lhes cobram sabedoria, esquecendo-se que sua fome e ignorância foi custeada, mantida. Pode parecer que estou sendo irônico, mas não estou, penso que prisão especial com privilégios deveria ser concedida a aqueles exatamente de origem de onde quase tudo faltou na infância, uma forma de o estado compensar o abandono, e não a aqueles que tudo teve ao seu alcance, mas, tenha optado pelas contravenções, ainda mais, sendo esclarecidos: A historia humana persiste em uma trama digna de seres pensantes, mas, sem a sensibilidade à altura dos Deuses que acreditam e do amor simbólico da estima; Lideres de maior influencia sobre o comportamento moral e espiritual em sua maioria, acumulam os valores pelos mesmos condenados; mesmo os que incentivam o possuir cobram importâncias reais pelo abstrato, influencia no futuro da humanidade a se perpetuarem  grupos de criaturas servis, a ter como promessa pelos políticos as melhorias para o futuro e, lideres religiosos, à expectativa da felicidade prometida somente para após a partida desta vida: E o que dizer do eterno presente? Induzidos pelo  apelo das propagandas a possuírem, se tornam insensíveis a si mesmos e ao semelhante: Tem de haver sempre meio termo em todas as decisões que devam levar ao cumprimento de regras: É pelo simples descuido de em situações de tomada de decisão não perceber outra coisa além de um sim ou não que, tudo, mesmo prejudicial ao todo social, funciona às claras sem serem percebidos os escuros: Leis humanas são mutáveis e não exatas, são estruturadas, como não poderia ser diferente, a atender principalmente na área econômica, aos planos de seus criadores e executores. Mas não para por ai, pela educação adquirida e doutrina arquitetada por milênios, continuaremos a ser peritos em teorias comportamentais; mas nada de praticá-las. Muitos pesquisadores, alguns psicólogos e tantos outros, afirmam ser inerente ao ser humano, a violência: Não há dúvidas que estas afirmações ocultam se ditas por marechais, a defesa da necessidade das guerras, o que não é verdade, pois isso contraria a capacidade humana em aprimorar seus meios de convivência coletiva pacifica e, porque não também com esta conclusão, não estar presente a clara intenção de continuar tentando deixar a maioria em seu estado primitivo, para desta maneira, melhor dominar com a violência? Defender que a violência fez parte nos primeiros passos de nossa espécie, sim, mas, com tudo disponível  para se levar através da cultura conhecimento a todos, não: Concordar com esta afirmação é condenar a criatura humana a não ter livre arbítrio, ou não ser capaz de escolher pelo menos, parte de seu destino...







Brasileiros...Mulheres e Homens de Caráter

Alerta geral, Brasil não está sendo governado por brasileiros, se assim fosse, a Amazônia não seria tocada com barbarismo.  Red9 Brasil...