Façamos um favor a todos nos

Brasil, somos torno de duzentos milhões de cidadãos: Evidentemente, todos nos sentimos aptos e inteligentes; mas acontece cada uma; primeiro, nos permitimos sermos divididos em dois grupos como se fossemos desconhecidos um do outro: Segundo, não nos esqueçamos que, a razões que têm levado as massas as ruas, em defesa de um ou de outro político, são puramente apoiadas no conhecimento das afirmações que nos passam sobre seus caráteres e personalidade. Não conhecemos o dia a dia de cada um, nada sabemos de verdade, a não ser os que os cercam no cotidiano, quando nos foram apresentados como candidatos nas ocasiões das eleições, pior ainda, nada apresentaram de realizações concretas no social; as promessas sim, tão boas quanto a facilidade pela qual gostamos de ser iludidos. A constituição apregoa, somos todos iguais, eu pergunto, onde? Após a morte sim, salvo casos raros, todos nos decompomos. Como pode, se a imprensa não mente, (?) no momento atual, não existem cidadãos merecedores de ocupar um cargo público onde, se tratará do presente e futuro de todos. Somos todos iguais em teoria, fiança é uma garantia de impunidade; pobre, se rouba, muitas vezes, a porta de sua casa é quebrada, sua casa invadida e, se não houver ninguém por perto, sai aos tapas até o distrito. Para ser político e governar, não se exige currículo, basta ser apresentado por àqueles que tem mais influência no meio.  Usar de influência para conseguir benefícios é crime? Sei. Como é possível nossos destinos como cidadãos, ser confiado à uma classe, (se a imprensa mente) com cargos no governo, quase todos suspeitos? Fazem badernas, se subornam, esbanjam dinheiro e não devolvem nada e ainda ficam dizendo que querem ajudar melhorar a situação do país.  Recomendo a pesquisa, tudo sobre 1964, onde torturadores franceses principalmente, vinham até nosso país, Brasil, ensinar táticas de torturas aos jovens soldados brasileiros; a expectativa americana com sua formação de guerra em nossa costa marítima, caso os cidadãos assim como nós de hoje, divididos com nossos pontos de vida sobre a situação política e dos políticos, caso houvesse resistência resultando em guerra civil, teriam sidos mortos sem piedade, somente prevalecendo o poder e mando. O Brasil tem fechado negócios com a Rússia, China, Oriente e outros países fora os tradicionais, isso incomoda os peritos exploradores de nossos bens, o que justificaria este interesse enorme em desestabilizar nossa política, dividir nosso povo, para assim, ficar mais fácil para nos explorar e por que não, usando a democracia para negociar livremente: Tendo ainda sob controle a economia no mundo sob a influência e manipulação do dólar, pegar de graça o pré-sal. Atualmente, com uma grande ameaça real presente, já não é possível mais, simplesmente provocar uma guerra interna no Brasil e tomar discretamente ou a força seus bens: O país hoje, tem compromissos com verdadeiras potencias, tenho certeza que nenhuma delas ficaria indiferente com seus bens em risco. Resta então a arma da burocracia, tira-se um governo popular usando como arma a elite, para os quais nunca esteve ruim, reassentam-se os velhos políticos concordantes com a exploração passiva do país e pronto...